Catálogo de Produtos

Araupel prepara aumento da produção de pellets

quarta, 15 de fevereiro de 2017

imagem=pesquisa-araupel

Empresa com fábricas no Paraná produz pequenos cilindros prensados de madeira a partir de subprodutos industriais para gerar energia em termelétricas e caldeiras.

Com a sustentabilidade como princípio, a Araupel, especializada em reflorestamento e beneficiamento de madeira, aproveita os 17 tipos de subprodutos resultantes da industrialização da matéria-prima. A maior parte torna-se biomassa para a geração de energia em grandes indústrias. Entre todos, os pellets, pequenos cilindros de madeira prensados, vêm ganhando destaque na geração de energia.

A partir de modelos existentes na Europa, a Araupel começou há três anos pesquisas para desenvolver os Araupellets. A largada na produção ocorreu em janeiro de 2015, na unidade de Quedas do Iguaçu (PR). Agora, a empresa elabora projeto para expandir a produção em até cinco vezes.

– Buscamos agregar valor aos nossos produtos de forma sustentável e com respeito ao ambiente. Nada é descartado na natureza aqui na empresa e, com os pellets, reforçamos mais essa vocação ao dar um aproveitamento ainda melhor para aparas de madeira – afirma Norton Fabris, diretor de Operações da Araupel.

Os pellets servem para gerar energia em usinas termelétricas, ter uso comercial, nos fornos de pizzarias e aquecimento de água de hotéis, e também uso doméstico, como em lareiras. A substituição na matriz energética pode ser vantajosa. Como comparação, são necessários 2 kg de pellets para se obter a mesma quantidade de energia gerada por 1 kg de óleo diesel. Apesar do maior volume do subproduto de madeira, o custo fica pela metade na comparação com o combustível mineral.

Outro benefício é a baixa produção de cinza – cerca de 0,5% do peso total, bem abaixo dos 10% do bagaço de cana-de-açúcar, 2% a 3% da lenha e 1,5% do cavaco. Um quilo de pellet resulta em apenas 50 gramas de cinzas.

O processo de produção de pellets se dá por extrusão da maravalha seca, que é uma apara de madeira. Ensacado em embalagens de 30 kg, é transportado, estocado e manuseado com mais facilidade do que a lenha, por exemplo.